Ainda sem comentários.

O Batismo no Espírito Santo

O Batismo no Espírito Santo

Somente em Atos 2 o Espírito Santo é derramado sobre “toda a carne”, cumprindo-se a profecia de Joel 2.28. O próprio apóstolo Pedro, cheio do Espírito de Deus, cita essa passagem bíblica como referência do que estava acontecendo naquele instante.
A expressão “derramado” representa bem essa manifestação gloriosa do Espírito Santo de Deus.
Seu poder, entregue aos profetas, sacerdotes e reis do Antigo Testamento, agora é lançada sobre todo o homem que almeja ser um instrumento de valor para o Reino de Deus.

O BATISMO COM O ESPÍRITO SANTO

É uma manifestação sobrenatural onde o espírito do crente e o Espírito Santo unem-se EM UM MESMO LOUVOR A DEUS.
É ser completamente cheio do Espírito Santo.
É uma experiência de poder sobrenatural sobre a sua vida, que abre novas perspectivas para a vida.

O SINAL – O falar em outras línguas era, entre os crentes do NT, um sinal da parte de Deus para evidenciar o batismo com o Espírito Santo.
A experiência do batismo de fogo, pelo Espírito Santo, é descrita dessa maneira na Bíblia:
“E, cumprindo o dia de Pentecostes, estavam todos reunidos no mesmo lugar; E, de repente, veio do céu, um vento veemente e impetuoso, se encheu toda a casa em que estavam assentados. E foram vistas por eles, línguas como que de fogo, as quais pousaram sobre cada um deles. E todos foram cheios do Espírito Santo, e começaram a falar em outras línguas, conforme o Espírito Santo lhes concedia que falasse.” (Atos 2:1-4).
“E, dizendo Pedro ainda essas palavras, desceu o Espírito Santo sobre todos os que ouviam a palavra. E os fiéis que era da circuncisão, todos quantos tinham vindo com Pedro, maravilhavam-se de que o dom do Espírito Santo se derramasse sobre os gentios. Porque os ouviam falar em línguas e magnificar a Deus” (Atos 10:44-46)

A uns discípulos de João Batista, os quais estavam em Éfeso, Paulo também pregou o Batismo em nome de Jesus e o Batismo com o Espírito (Atos 19:1-7): “E os que ouviram foram batizados em nome de Jesus. E, impondo-lhes as mãos, veio sobre eles o Espírito Santo; e falavam línguas e profetizavam”. (Atos 19:5-6)

Em Atos 2:38 e 39, o Apóstolo Pedro, após o primeiro sermão, disse que após o arrepender-se, o povo deveria ser batizado em nome de Jesus e receberiam o dom do Espírito Santo e que a promessa era para eles, para seus filhos, para os que estavam perto e os que estavam longe, e para tanto a quantos Deus, nosso Senhor chamar. Isso aconteceu muitas outras vezes e em muitos outros lugares: Atos 4:31, Atos 6:3, Atos 8:14-17.

Esse agir sobrenatural é em uma língua que nunca se aprendeu (Atos 2:4, 1 Coríntios 14:14-15), quer seja uma língua falada na Terra ou mesmo numa linguagem de anjos(Atos 2:6 1 Coríntios 13:1).

O evangelista Reinhard Bonnke diz que o batismo no Espírito Santo não foi uma experiência isolada no passado, mas é o ambiente que fornece a vitalidade da fé cristã. Em suas palavras, no livro ‘Manifestações Poderosas’, ele diz: “quando bombardeamos o mundo com o evangelho, Ele é a munição para nossa artilharia. Ele anima os crentes: seus ensinos, sua pregação, seus cultos e sua vida… Sempre há um avivamento quando estamos pregando a Palavra de Deus e o Espírito está presente”.

ENTRISTECER O ESPÍRITO SANTO

Cultivar um relacionamento com Deus promove a ação em nosso interior do seu Espírito Santo (Efésios 3:16-17), gerando seu fruto em nós. Em Efésios 4:17 a 5:21 o apóstolo Paulo torna em termos práticos como deve ser nosso viver/proceder diário. No versículo 4:30 lemos: “E não entristeçais o Espírito Santo de Deus, no qual estais selados para o dia da redenção”.
O crente causa tristeza ou pesar ao Espírito Santo quando não da importância à sua presença, ou à sua voz e direção (Gálatas 6:6-7, Romanos 8:5-9). O próximo passo é acabar resistindo a Deus (Atos 7:51). O homem de dura cerviz é a descrição da pessoa orgulhosa demais para se deixar corrigir. Sabendo o que é o certo ou sendo convencido pela Palavra mesmo assim a pessoa não se arrepende. Dissimula e vive a aparência, não deixando que a Palavra de Deus o transforme.
Esse endurecimento (Hebreus 3:7-16) leva a ‘extinguir’ o Espírito Santo na vida da pessoa (1 Tessalonicenses 5:19,20), pois começará a desprezar a PRÓRPIA palavra de deus.
Não extingais o Espírito.
Não desprezeis as profecias. 1 Tessalonicenses 5:19,20
Portanto, como diz o Espírito Santo: Se ouvirdes hoje a sua voz,
Não endureçais os vossos corações,Como na provocação, no dia da tentação no deserto. Hebreus 3:7,8
Quando se resiste ao Espírito Santo impede-se seu agir, não dando mais ouvidos a sua Palavra, acaba extinguindo-o de sua vida.
O apóstolo João em sua primeira epístola capítulo 5 e versículo 16-17, fala que: “Há pecado para a morte e por esse não digo que ore” (1 João 5:16b). Jesus disse: “Todo pecado e blasfêmia serão perdoados aos homens, mas a blasfêmia contra o Espírito Santo não será perdoada” Mateus 12:31-32. No verso 34 entendemos que reputar as obras de Deus ao diabo é a causa.
O escritor de Hebreus fala do “agravo ao Espírito da Graça” e indaga que quem comete merece mais que a morte (Hebreus 10:27-31). E em Atos 5:3-4 lemos que o mentir ao Espírito Santo trouxe morte a Ananias e Safira.
A obscuridade na mente da pessoa leva-a a agir cruelmente contra a fé (2 Tessalonicenses 2:2)
e pode conduzi-la a um  ponto onde Deus não mais agirá nela, rejeitando-a para sempre.
O Senhor sabia que Judas Iscariotes tinha uma predisposição a ser um traidor (João 6:64) mas deixou-o com outros que também eram descrentes, para trabalhar-lhe o arrependimento. Porém, Judas resistiu-lhe até o fim, quando então o diabo entrou nele (Lucas 22:3). Após isso, ele entregou Jesus aos seus algozes, com sadismo e, por fim, preferiu suicidar-se a arrepender-se.

Postar um comentário